Rabiscando Deusas e flores

Conheça o trabalho de Luiza Vitorio

Parece a capa do disco Telefone, da Noname (EUA), mas são as “deusas” da artista capixaba Luiza Vitorio – desenhista, poeta, atriz, pintora.

“Deusa” é o termo usado para batizar as suas obras publicadas na @rabiscosperiferikas.

Luiza Vitorio, artista capixaba

“Mulheres são deusas. Elas podem, se quiserem, gerar vida. São fortes e sofridas. Nós sangramos todos os meses. Isso é uma loucura, algumas até mais e não me refiro à menstruação”, disse Luiza.

Apesar de se considerar uma artista hibrída, de vários campos, desde fevereiro de 2018 faz uma curadoria da sua arte nos quadros da rede social – e são os quadros que se destacam.

Das mais de 400 postagens, a maioria são seus rabiscos e impressões em quadros, no colorido das tintas ou no cinza do lápis.

“Eu vou me deixando levar. Por minhas dores em ser mulher neste mundo de homens e meus amores por este mesmo mundo caótico”, disse a artista.

Do palco para a tela

A onda inspirado é colocada para fora com a influência do teatro. Abraçada pela Companhia Vira-Lata de Teatro, lá que as inspirações o gosto pelas artes começou a ganhar performance.

“Foi com o teatro que me liberei a produzir outros meios de expurgar o que sinto e vejo por aí (…). A arte teve esse poder em mim. Abrir meus olhos pra possiblidades que antes eu nem mensurava”, compartilhou.

De espectadora a produtora, a personagem saí do palco e ocupa as telas e em meio à flores e a natureza, a deusas tomam conta do seu ser.

Confira mais quadros no perfil @rabiscosperiferikas.

Fotos: todas a imagens são de autoria da artista Luiza Vitorio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.