A escola Rapnoscliv de BTT Beats e o fenômeno Shoy

A primeira música do rapper pela produtora foi a pouco mais de um ano, Radar Patek. Foto de destaque por Artur Simmer (@ArturSimmer)

Favoretti, BTT Beats e Shoy

O projeto Shoy da Rapnoscliv deu certo e chamou atenção de toda cena capixaba do hip-hop nas redes sociais nesta terça-feira, 23, depois do anúncio do fechamento de um contrato com o selo produtora Uclã (RJ).

Destaque para o rapper e um ponto fundamental para a Rapnoscliv, que vai se consolidando como uma escola de formação e tendência da nossa música capixaba.

A revelação apareceu no “Radar Patek” de Batata Beats (BTT). No dia 1º de Março. Shoy despontou. E nessa parceria as duas marcas começaram a andar lado a lado. “Ele foi vendo foi pegando umas referências de Travis Scott, uma galera da gringa e fomos mostrando para ele do que a gente estava fazendo. Ele começou a tentar recriar aquilo e viu o que ele era capaz de fazer com a voz dele. (…) “, disse o produtor BTT.

Batata Beats. Foto: Artur Simmer (@ArturSimmer )

Ele também destaca que o produtor Damásio, também da RpN contribuiu para esse processo. “Passou muita visão e explicou muita coisa para ele (Shoy) que absorveu tudo legal”. A partir daí, foram vários hits e várias parcerias com nomes de peso no ES. Máquina do Tempo, Mercedes Benz, Senta Firme. Trabalhando sempre com o público do rap e do funk.

A gente foi convidado para participar de projetos no funk, como com o LC do TB, por exemplo. E outros trabalhos ness linha e a galera do funk tá escutando mais Rap. Isso ajuda muito, o público do funk consome mais o produto que a gente vende”, compartilhou BTT.

A legenda Shoy, que agora se espalhará pelo Sudeste e, consequentemente pelo Brasil, é a união de talento, oportunidade, estratégia e profissionalismo.

1º contato

E isso tudo não começou dentro de um estúdio. Foi na rua, numa batalha para ser mais exato. Mas Shoy não estava, o que pouco fez diferença.

“Eu fui na Batalha Estacionamento uma vez, que fica em Maruípe, e falei que quem fosse campeão ia ganhar um produção. (…) O menor ganhou, no dia da gravação levou o Shoy. (…) Esse menor mesmo nem conseguiu gravar nesse dia, só o Shoy. Esse foi o dia que nós conhecemos mas foi muito muita coisa rápida e sumiu, depois a gente conversou mais e eu vi Twitter postando um vídeo da música que ele tinha gravado comigo. Entrei em contato e propus de gravarmos um bagulho, a música bateu bem e desde então começou a trampar pela Rapnoscliv”, narrou BTT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.